sábado, janeiro 24, 2009

Coração sem porta


Coração sem porta

Coração sem porta
Por onde entram urubus
Que destroem a bicadas
O que atrevemos insistir

Mesmos que estas pragas invejosas
Espantem nosso tempo
Que essas asas me ponham de morto
Você eu clamo

O silêncio é mais antigo que a luz desse seu olhar
Mas nem por isso, a vida fica na desordem
E apreensiva
Que meu coração fique indefeso e qualquer um possa entrar

Mesmo sem porta
Abandonado a sorte,
Feito lírio de São José
São perfeitos e ninguém gosta

Do amor não haverá sobras!
Não serei refém desse pânico
Terá fim esta comédia
Pode abaixar o pano!

Meu coração, de fato vive escancarado
Todo tempo grita decidido
Seu maior atrevimento não me põe vexado
Por isso, insisto que te amo


DM/PB

2 comentários:

Srta. Winehouse disse...

Adorei o seu poema è de + parabéns !!!

Feeh disse...

Nossa ache fantastico esse seu blogger !!!

tudo muito lindo!